Meu Deus!… Como é engraçado! Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço
Uma fita dando voltas, se enrosca mas não se embola; vira, revira, circula e pronto: está dado o abraço. É assim que é um abraço, coração com coração, tudo iss cercado de braço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando… devargarinho, desmancha, desfaz o abraço. E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço. Ah! Então, é assim o amor, a amizade, tudo que é sentimento? Como um pedaço de fita? Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade. E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços. E saem as duas partes, que nem meu pedaço de fita – sem perder nenhum pedaço. Então o amor é isso… Não prende, não escraviza, não aperta, não sufoca. Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço.
Maria Beatriz Marinho dos Anjos
(conforme o original)

Que todos tenham seus laços, muitos. E poucos nós a serem desfeitos.

Roberte Metring

_______________________________

Post Script: Recebi nesta data (31/10/09) comentário da Psicóloga Maria Beatriz M. dos Anjos comunicando ser de sua autoria o texto acima (que até o momento me era dado como autor desconhecido). Fiquei feliz por meu blog ter sido lido por ilustre pessoa, e com toda humildade faço agora a correção. Aos interessados, ler comentários. O texto, conforme ficou após essa data, é cópia do original por mim recebido.

_________________

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br – www.psicologoroberte.com.br