“1. Não tenha medo de nada e de ninguém. O medo é uma das maiores causas de nossas perturbações interiores. Tenha fé em você mesmo. Sentir medo é acreditar que os outros são poderosos. Não dê poder ao próximo.” Esse é um trecho de uma mensagem que recebi, e que chamou muito minha atenção, pois direta e indiretamente fala de saúde, mas acima de tudo, de prevenção em saúde, tema ao qual me dedico com esmero e prazer no Blog, nas aulas, na vida, e que pode bem servir para mostrar que existe vida para além do milagre da cânfora.

Não espero que o leitor acredite em tudo o que verá escrito (eu acredito), mas que encontre, segundo suas crenças pessoais e desejos, algum novo hábito que possa ser praticado no dia-a-dia buscando equilibrar o corpo e a mente para serem saudáveis, e assim ser uma pessoa feliz. Talvez aumentando o estado de felicidade possa minimizar as chances de ter o organismo invadido por virus, bactérias, fungos entre outros, ou, simplesmente preparar-se para uma velhice dígna e saudável (coisa para as quais os jovens, e adultos jovens não estão nem ai, e hoje já acho que a gerontologia deveria começar seus trabalhos aos 20 anos de idade), provavelmente podendo gastar, então, na velhice, o dinheiro dos remédios de uso contínuo em passeios ou outras atividades prazerosas. As pessoas estão começando a acreditar que envelhecimento é sinônimo de doença, desprazer, médicos, farmácias e remédios. Não precisa ser assim não. Não precisa mesmo, se cuidarmos do equipamento (organismo).

Normalmente esse tipo de mensagens acaba não tendo um autor a quem dar os créditos, portanto, vou simplesmente reproduzir. Farei, no entanto alguns comentários pessoais, que estarão entre parentesis.

Continuemos:

2. Pense sempre, de forma positiva (isso não significa somente pensar em coisas belas e poéticas, mas acima de tudo, pensar naquilo que você quer, que você deseja). Toda vez que um pensamento negativo vier à sua cabeça (aquilo que você teme, que acha que não vai dar certo, do qual até você duvida), troque-o por outro (positivo, que você deseja, em que você acredita, que você quer relizar)! Para isso, é preciso muita disciplina mental. Você não adquire isso do dia para a noite; assim como um “atleta”, treine e muito (muito mesmo, 24 horas por dia, e se conseguir, até dormindo, comande seus próprios sonhos sempre que possível).

3. Não se queixe. Quando você reclama, tal qual um ímã, você atrai para si toda a carga negativa de suas próprias palavras (e ninguém reclama do que está bom né?). A maioria das coisas que acabam dando errado, começa a se materializar quando nos lamentamos (as leis da física, através dos estudos da ressonência e do magnetismo podem explicar, e hoje sabemos, pela neurociência, que pensamento gera energia, e que energia é capaz de produzir de tudo).

4. Risque a palavra “culpa” do seu dicionário (não há verdadeiramente culpados, na grande maioria das vezes há somente cumplices, a não ser que você tenha sido amarrado e torturado para realizar algo). Não se permita esta sensação (de culpa), pois quando nos punimos, abrimos nossa retaguarda para espíritos opressores e agressores (vivos mesmos, nao precisamos falar em vida após a morte para entender isso), que vibram (torcem mesmo) com nossa melancolia (e com nossas desventuras, com nosso “fracasso”, com nossas angústias). Ignore-os (mas saiba que eles existem).

5. Não deixe que interferências externas tumultuem o seu cotidiano. Livre-se de fofocas, comentários maldosos e gente deprimida. Isto é contagioso. Seja prestativo com quem presta. Sintonize com gente positiva e alto astral (a não ser que você seja profissional da área da saúde mental. Neste caso você fez juramento, dai é sua obrigação, é sua profissão. Essas pessoas não são para serem aturadas, precisam é de tratamento).

6. Não se aborreça com facilidade e nem dê importância às pequenas coisas (não dar importância não significa ignorar, simplesmente não atribua às coisas valores que elas não tem). Quando nos irritamos, envenenamos nosso corpo e nossa mente. Procure conviver com serenidade e quando tiver vontade de explodir, conte até dez (essa recomendação é bem antiga, diga-se de passagem. Mesmo Cristo já a mais de 2000 anos falava em mansidão e equilíbrio. Buda e tantos outros também ensinaram a mesma coisa. Chico Xavier costumava colocar água na boca e deixar amornar para responder questionamentos. Sabemos hoje que esse tempo é necessário para que o cérebro processe adequadamente os inputs, e que as decisões sejam bem menos emocionais e mais inteligentes).

7. Viva o presente (por que será que o presente se chama “presente”? O que tem a ver cada novo dia com um presente recebido do divino?). O ansioso vive no futuro. O rancoroso, vive no passado (e nenhum dos dois pode usufruir de nada, pois só no presente podemos usufruir de algo). Aproveite o aqui e agora. Nada se repete, tudo passa (agora você não é mais a mesma pessoa que começou a ler esse arigo). Faça o seu dia valer a pena. Não perca tempo com melindres e preocupações, pois só trazem doenças (e complementando, aprenda a decidir entre ter razão e ser feliz. Se for possível as duas coisas, parabéns, senão…. a escolha é sua).

8. A água purifica (solvente universal). Sempre que puder vá a praia, rio ou cachoeira. Em casa, enquanto toma banho, embaixo do chuveiro, de olhos fechados, imagine seu cansaço físico e mental e que toda a carga negativa está indo embora por água abaixo (pensamento é energia, não esqueça. Pode ser medida pelo eletroencefalograma).

9. Ande descalço quando puder, na terra de preferência (sabemos que todas as energias escoam para a terra, por isso temos os para-rios, os fios terra, etc.. E sabemos também que nossos corpos acumulam eletricidade estática, pelo atrito dos tecidos, etc… que precisam ser descarregadas). Em casa, Massageie seus pés com um creme depois de um longo dia de trabalho. Os escalde em água morna (nos pés concentra-se enerme quantidade de terminais nervosos que ativam várias áreas do corpo. O nome disso é reflexologia. Uma boa massagem nos pés pode ser revigorante para o corpo todo).

10. Mantenha contato com a natureza; tenha em casa um vaso de plantas pelo menos. Cuide dele com carinho. O amor que dedicamos às plantas e animais acalma o ser humano e funciona como relaxante natural (sem comentários).

11. Ouça músicas que o façam cantar e dançar. Seja qual for o seu estilo preferido, a vibração de uma canção tem o poder de nos fazer sentir vivos , aflorando a nossa emoção e abrindo o nosso canal com alegria (emoção é vida).

12. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo o impeça de tentar. Liberte-se!!! Sempre que puder livre-se da rotina e pegue a estrada, nem que seja por um único dia (de carona, a pé ou de bicicleta, caso não tenha um carro). Conheça novos lugares (até mesmo próximos de sua casa) e novas pessoas. Viva a Vida!!!!!

13. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando, porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu (não merece nenhum comentário, fala por si só).

Leitor, você pode escolher uma dessas dicas e praticar por um tempo, pode simplesmente sortear, escolher ou sei lá o que, uma diariamente para praticar naquele dia, ou pode simplesmente ignorar tudo isso. A decisão será sempre sua. Mas desejo sinceramente que reflita sobre isso tudo pelo seu bem, e pelo bem da humanidade (macro e micro sociedade humana), pois essa será sempre o reflexo direto de pequenas atitudes tomadas por cada um dos seres que a constitui, num sentido sistêmico e ecológico.

Roberte Metring

_________________

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br – www.psicologoroberte.com.br