O que é Estresse (Stress)

O termo stress (na língua inglesa) ou estresse (em bom português), foi tomado emprestado, tanto pela Psicologia como pela Medicina e outras áreas da saúde, da física, onde designa a tensão e o desgaste a que estão expostos os materiais, e usado pela primeira vez em 1936 pelo médico Hans Selye na revista científica Nature.

Do ponto de vista da patologia, o estresse decorre da soma de respostas físicas e mentais causadas por determinados estímulos externos (agentes estressores) e que permitem ao indivíduo (humano ou animal) superar determinadas exigências do meio ambiente. Quando este enfrentamento ocorre sem maiores anormalidades, o estresse é denominado de eustresse. Até ai, nada de errado. Não houvesse um agente estressor, não sairíamos da cama, não buscaríamos comida ou descanso, e por ai vai. Ou seja, não viveríamos.

O grande problema é quando as exigências ao organismo, seja físico ou psicológico, ficam além da capacidade de resposta (como por exemplo um clipe de papel se ficarmos retorcendo até que quebre), ou se mantém por um período invariavelmente longo de tempo, superando a capacidade do organismo em se reorganizar e reassumir a homeostase (equilíbrio) natural (como no caso do elástico sendo esticado de forma repetitiva por várias vezes, até perder a própria elasticidade, mesmo que não arrebente).

Há uma quantidade e variedade admirável de agentes estressores, alguns internos (intrínsecos), ou externos (extrínsecos), que podem ir desde catástrofes coletivas ou pessoais, eventos biográficos críticos (casamento, morte, etc.), eventos traumáticos (violências, acidentes, etc.), eventos cotidianos acumulados (problemas de saúde, no trabalho, nas relações, etc.), ou mesmo agentes estressores crônicos (desemprego de longo tempo, uma relação falida, falta de férias, etc.). A capacidade de reação de cada organismo varia de pessoa para pessoa, e quanto melhor preparada física e psicologicamente está, maior a sua capacidade de reação, e na mesma proporção, menores as possibilidades de que sofra as consequências negativas do estresse.

Exemplos clássicos de agentes estressores:

• Dores e mágoas emocionais.
• Relações amorosas difíceis ou conflituosas.
• Níveis de som acima do tolerável.
• Nascimento, morte, guerras, casamentos, divórcios, mudanças, férias.
• Desemprego, dívidas acumuladas, falta de dinheiro.
• Trabalho ou estudo com alto nível de exigência.
Bullyng, abuso sexual.
• E muitos outros agentes que estão acima das capacidades de reação da pessoa.

As teorias que estudam o estresse, seus efeitos e possíveis tratamentos são várias. Porém, todas concordam que o estresse necessita de tratamento, pois não sendo assim, pode levar à desorganização física ou psicológica, produzindo resultados catastróficos à pessoa, podendo, em médio ou longo tempo, exigir tratamentos intensivos severos, chegando, em alguns casos, ser necessária internação para recuperação de sua capacidade laboral e relacional.

Alguns problemas de saúde ligados de alguma forma ao Estresse

• Hipertensão arterial.
• Gastrite.
• Úlcera.
• Obesidade.
• Problemas com o sono.
• Problemas com o prazer.
• Irritabilidade.
• Problemas com concentração e memória.
• Depressão.
• Angústia.
• Problemas com a produtividade no trabalho e no estudo, entre outros.

Como saber que o nível do estresse está fugindo do controle?

Os sintomas mais característicos, que podem ser auto-observados, ou observados por terceiros, são vários, porém, se você se enquadrar em 5 ou mais desses, ou se um desses estiver atrapalhando sua produtividade ou suas relações, é importante buscar ajuda:

  • Problemas de memória
  • Problemas de concentração
  • Negativismo
  • Ansiedade ou pensamentos acelerados
  • Mau-humor
  • Irritabilidade
  • Agitação ou incapacidade pare relaxar naturalmente
  • Sentimento de estar sobrecarregado
  • Incapacidade em sentir felicidade ou alegria
  • Dores sem motivo aparente
  • Diarreia ou constipação
  • Dor no peito e/ou aceleração cardíaca sem motivo
  • Perda do desejo sexual
  • Resfriados ou gripes frequentes
  • Dormir muito, ou pouco, além do normal
  • Falta ou excesso de apetite
  • Aumento ou diminuição de peso sem mudança do regime alimentar
  • Consumo de remédios, álcool ou drogas para relaxar
  • Negligenciar responsabilidades, entre outros

Atualmente estima-se que cerca de 75% dos problemas de saúde tem alguma ligação com estados de estresse, e que 7 ou 8 em cada 10 medicamentos receitados sejam para tratar algum tipo de doença que de alguma forma pode ser relacionada ao estresse.

Como a Psicoterapia pode atuar no tratamento do estresse?

Quando o organismo não encontra uma forma de resolver a causa da tensão, pode entrar em esgotamento energético, podendo descompensar também o Sistema Nervoso Autônomo, responsável pela regulação de todos os sistemas do organismo, e os problemas para a saúde física, a saúde mental e a saúde intelectual podem ser enormes.

A psicoterapia objetiva, entre outras coisas, proporcionar à pessoa condições de elevar seu nível de percepção sobre quais são, e como lida com os agentes estressores, elevando sua capacidade de reação, proporcionando a esta condições de reorganizar a energia para poder produzir e obter prazer com sua vida.

Saúde e paz.
Roberte Metring

____________________
Varekai (onde quer que seja)

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
[email protected]
www.facebook.com/RoberteMetring

www.facebook.com/BlogRoberteMetring