Focar em como atingir um objetivo ao invés de realizar tarefas despreocupadamente pode impedir que encontremos soluções alternativas
Programar-se para conseguir cumprir as tarefas diárias ou fazer planos para os próximos meses ou anos pode ajudar a se organizar melhor ou a atingir algumas metas. Entretanto, o “passo a passo” mental que planejamos para concretizar objetivos pode embotar nossa percepção e impedir que encontremos soluções mais fáceis e criativas. Essa é a conclusão de um estudo feito por psicólogos da Universidade Wake Forest, na Carolina do Norte. Eles orientaram voluntários a executar alguns exercícios simples no computador e em seguida procurar a data de nascimento do ator Bill Murray. No entanto, metade dos voluntários foi induzida a programar suas atividades e a consultar o dado sobre o ator no site sobre cinema IMDb.com.
Os pesquisadores observaram que pessoas do grupo que organizou mentalmente a melhor forma de fazer as tarefas se lembaram com mais frequência de encontrar a data de aniversário de Murray no final. Porém, a maioria delas ignorou um aviso na tela do computador pelo qual era possível acessar diretamente o site Wikipédia e procurou pelo IMDb. Já os outros participantes, que não fizeram nenhum plano específico, clicaram no link que conduzia à Wikipédia quando se lembraram de apurar a data e a encontraram mais rapidamente. Segundo os autores do estudo, publicado no Social Cognition, focar um objetivo e pensar nos degraus necessários para atingi-lo pode estreitar a visão do cérebro para soluções alternativas e não raro levar ao gasto desnecessário de energia e recursos

Fonte: Synapsy

__________________

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br – www.psicologoroberte.com.br