By Alysson M. Carvalho & Lenor B. Guerra

“O objetivo da avaliação neuropsicológica é identificar as características das funções mentais do indivíduo como inteligência, linguagem, memória, atenção, função executiva, praxias e visuoconstrução, raciocínio lógico-matemático, leitura e escrita, comportamento motor, cognição social, reconhecimento de emoções e habilidades sociais. […] A avaliação neuropsicológica estabelece quais são as funções cognitivas que estão preservadas dentro dos limites da normalidade e aquelas que apresentam algum comprometimento, identificando “forças e fraquezas” do aprendiz. Dessa forma, e dentro de limites estabelecidos que a neurociência conhece, as pesquisas viabilizam e a ética permite, a avaliação neuropsicológica possibilita aos profissionais neuropsicólogos estabelecerem uma orientação para estratégias de ensino-aprendizagem e ou intervenções para usar o potencial e compreender as limitações do sistema nervoso daquele aprendiz. Possibilita, asssim, a proposição de estratégias terapêuticas e/ou pedagógicas adequadas ao desenvolvimento deste potencial, evitando restringi-lo pelas limitações impostas pelas características cerebrais do indivíduo.

[…] Ressaltamos que a identificação da dificuldade de aprendizagem, com a colaboração da perspectiva neuropsicológica, possibilita o reconhecimento de problemas que, mesmo não apresentando solução definitiva, permitem encaminhamento e intervenção adequados pela equipe multidisciplinar. Nessa equipe incluem-se, sempre, a escola e a família, para acompanhamento e desenvolvimento do potencial da criança, com vistas à aprendizagem que lhe for possível.

É importante salientar que, em muitas condições, obtem-se o que é possível, não o ideal. Considerar a avaliação neuropsicológica e as consequentes intervenções neuropsicológicas como solução plena para os alunos que não aprendem é ingenuidade. O desenvolvimento das neurociências nas últimas décadas permitiu uma abordagem mais científica do processo de ensino-aprendizagem, fundamentada pela compreensão de alguns, mas não de todos os processos cognitivos. A própria avaliação neuropsicológica contribui para o avanço do conehcimento de como o individuo aprende e de como os diversos fatores influenciam a aprendizagem. Contudo, existem limitações metodológicas e éticas para a investigação de todos os fenômenos relacionados à aprendizagem e, dessa forma, haverá aqueles quadros ainda sem resolubilidade, sem explicações, sem soluções. Estes demandarão o entendimento de que todo ser humano aprende em alguma extensão, dentro dos seus limites. Essas quadros constituem, por si só, desafios para a investigação na área das neurociências.”

FONTE: MALLOY-DINIZ, L. F., et al. Avaliação Neuropsicologica. Porto Alegre: Artmed, 2010. pg.327-328.

__________________

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br – www.psicologoroberte.com.br