Numa aula de pós-graduação, escutei de uma aluna o seguinte comentário: amor nunca é demais.

O contexto onde estava colocado, numa aula de saúde da criança e do adolescente, em princípio parecia totalmente correto, mas será?

É sabido que um ambiente amoroso e recheado de afetividade tem seu reflexo biológico no aumento da funcionalidade do sistema imunológico, o que permite uma vida física de maior qualidade, sem dúvida. No entanto, a natureza não deixa passar em branco nenhum tipo de excesso, portanto, desejo que você faça uma analogia entre o amor e a água.

Se você der água a alguém na medida certa, assegurará as ideais condições de hidratação e saúde a este organismo. Se der de menos, causará a desidratação, com severos comprometimentos orgânicos, e se der demais, mesmo que movido pelo amor, matará a pessoa, seja ela uma criança, adolescente, adulto ou idoso, certo?

Muitas pessoas confundem o que poderíamos chamar de doação de amor incondicional, com doação fora do controle.

Quantas vezes você já ouviu noticias falando de pessoas que mataram por amor, mutilaram por amor? Quantas pessoas vocês conhecem aprisionadas em relacionamentos doentios por que um deles, por amor, sufoca, tira o ar, mata o próprio amor?

Pois é, assim ocorre também nas relações entre pais e filhos. Vemos pais que amam de menos, vemos pais que amam demais. E por mais estranho que pareça, os que amam demais acabam causando mais mal do que os que amam de menos. Pela falta, o organismo acaba tendo que buscar meios de suprir sua carência, o que pode impulsionar o crescimento, certamente que um crescimento dolorido, mas crescimento.

O amor na medida certa, dá ao organismo das crianças, tanto física quanto psiquicamente, todo suporte para o crescimento adequado, como uma planta que recebe a terra e a água na medida certa, e cresce, desenvolve, floresce e dá frutos.

O amor em excesso, inibe o crescimento, causa o ostracismo e a falta de iniciativa para a busca, pois aparentemente as suas necessidades estão atendidas. Assim, teremos a sementinha que morre antes de florescer porque a água ajudou a apodrecer a terra antes que a natureza pudesse fazer seu papel.

Portanto, amor incondicional é aquele que você dá sem colocar condições, e sem fazer cobranças, e isso não tem nada a ver com a medida do amor.

Pense nisso, e se está em dúvidas sobre sua relação de amor com seus filhos, procure ajuda profissional para poder lhe ajudar a encontrar uma medida que seja adequada para que a sementinha dos seus filhos cresça, floresça e dê frutos, e você possa se orgulhar disso.

Não deixe para reclamar no futuro, parando na frente do espelho dizendo para si mesmo: onde foi que eu errei.

Roberte Metring

__________________

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br – www.psicologoroberte.com.br