Um cão velho e com olhar cansado estava andando pela rua e entrou em meu jardim. Eu pude ver, pela coleira e seu pelo brilhante, que ele era bem alimentado e bem cuidado.

Ele andou calmamente até mim e eu o agradei. Então ele me seguiu e entrou em minha casa. Passou pela sala, entrou no corredor, deitou-se em um cantinho e dormiu.

Uma hora depois ele foi para a porta e eu o deixei sair.

No dia seguinte ele voltou, fez “festinha” para mim no jardim, entrou em minha casa e novamente dormiu por uma hora no cantinho do corredor. Isso se repetiu por várias semanas.

Curioso, coloquei um bilhete em sua coleira: “Gostaria de saber quem é o dono deste lindo e amável cachorro, e perguntar se você sabe que ele vem até a minha casa todas as tardes para tirar uma soneca.”

No dia seguinte ele chegou para sua habitual soneca, com um outro bilhete na coleira: “Ele mora em uma casa com 6 crianças, 2 das quais têm menos de 3 anos – provavelmente ele está tentando descansar um pouco. Posso ir com ele amanhã???”

__________________

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br – www.psicologoroberte.com.br