girl (8-9) taking to a child psychologist
Para facilitar o discurso, usarei PSICÓLOGO como termo genérico para a classe profissional, sem distinção de gênero.
Em rápidas palavras e de forma bem prática, o PSICÓLOGO é um indivíduo formado no curso de PSICOLOGIA, e deve estar habilitado, através de registro no Conselho de Psicologia, à exercer as funções devidamente regulamentadas e autorizadas. O simples fato de estar formado não lhe habilita a exercer a profissão.
Este curso dura 5 anos. Existem algumas instituições de ensino superior em que o curso de Psicologia permite a formação em nível de bacharelado ao término do quarto ano de ensino, e isso permite ao acadêmico atuar no trabalho de pesquisa, mas não o habilita nem permite atuação como PSICÓLOGO, muito menos a atuar como PSICOTERAPEUTA.
TERAPIA é um termo amplo, de raiz grega (therapeía ou therapeúein), que significa literalmente servir, ajudar, cuidar, tratar. Enfim, qualquer pessoa que sirva, ajude, cuide ou trate de alguém, independentemente de como, pode ser considerado um terapeuta.
Cada segmento da ciência dirige-se a uma profissão, e cada profissão detém embasamento teórico e técnicas específicas a fim de atingir seus objetivos. Por exemplo: psicólogos, médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, e vários outros profissionais, quase sempre diretamente ligados à área da saúde, são terapeutas. Mas existem também terapias de outra ordem, como as terapias espirituais, as terapias alternativas em geral, etc.
PSICOLOGIA tem sua origem em dois termos gregos: PSIQUE (ψυχή, psykhé, gr.) que refere-se a alma, e LOGOS (λόγος, lógos, gr) que refere-se a estudo, ou seja, estudo da alma. Claro que é abrangente demais, e ao longo do tempo, após uma filtragem, hoje temos PSICOLOGIA como a ciência que estuda os processos mentais e comportamentais.
PSICOTERAPIA é uma das especializações da PSICOLOGIA, e também da MEDICINA, que busca intervir na organização dos processos mentais e comportamentais. Enquanto especialização da área MÉDICA, é praticada quase que exclusivamente, mas não somente, por PSIQUIATRAS, aos quais é permitida a intervenção através de formulações químicas medicamentosas.
Aos PSICOLÓGOS essa prática medicamentosa é vedada, e sua intervenção é realizada exclusivamente com o uso de técnicas embasadas em formulações teóricas reconhecidas, que não sejam invasivas nem medicamentosas. Os procedimentos autorizados, tanto para MÉDICOS como para PSICÓLOGOS, são regulamentados pelos seus devidos Conselhos de Classe (CFM e CFP).
Fica claro, então, que a PSICOTERAPIA é apenas uma, mas não a única, das habilitações permitidas ao PSICÓLOGO e ao MÉDICO. No caso do PSICÓLOGO, este está autorizado a atuar ainda em outras áreas, tais como PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL, PSICOLOGIA SOCIAL, PSICOLOGIA DO ESPORTE, PSICOLOGIA HOSPITALAR, PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM E DO ENSINO, PSICOLOGIA ESCOLAR, entre tantos outros segmentos, inclusive na pesquisa.
É uma opção do PSICÓLOGO atuar como PSICOTERAPEUTA ou não.
Para os outros casos terapêuticos, devem ser utilizadas nomenclaturas mais claras e específicas, como por exemplo, ARTETERAPIA, MUSICOTERAPIA, TERAPIA ESPIRITUAL, CROMOTERAPIA, e assim por diante. Todos esses profissionais podem se servir das teorias que embasam a PSICOLOGIA, mas não devem esquecer qual a sua formação de base e os objetivos de sua profissão, bem como quais as técnicas ou instrumentais que lhes são devidamente autorizados.

Roberte Metring

_________________

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br – www.psicologoroberte.com.br