Sem mais delongas, vamos direto ao que interessa.

Vá até uma parede, e, com toda força que puder, bata nela. Sim, bata nela. Recomendo que não dê um soco, pois as consequências não seriam boas, mas pode bater, por exemplo, de mão aberta.  Não continue a ler este post sem fazer essa experiência primeiro.ima2

Certo, agora você pode refletir sobre a segunda lei de Newton, a lei da Dinâmica: “A mudaça de movimento é porporcinal à força motora imprimida e é produzida na direção de linha reta na qual aquela força é aplicada”.

Calma, vamos deixar mais fácil. Em termos simples é o mesmo que dizer que toda ação produz uma reação em igual força e direção contrária. Quando você bate na parede, ela bate em você, por isso é que dói. Quanto mais forte for o tapa que você der, mais sua mão vai doer. Entendeu?

Pois bem, agora você não vai insistir em dizer que você atraiu a parede contra sua mão para provocar a dor que você possa estar sentindo, correto?

Na vida as coisas ocorrem também assim. A vida é a parede. A vida não faz nada, ela simplesmente está ali. Na medida em que você a atinge, ela retorna na mesma proporção, seja lá o que for. Ela é uma “potencial” esperando para ser despertado. Se você não bater na parede, nada vai acontecer. Se você a acariciar, sentirá a acarícia. Se você a tocar com suavidade, será capaz de sentir a textura da parede ou da tinta. Se a agredir, sentirá uma agressão. A vida faz o mesmo papel da parede, ou seja, a vida é o pano de fundo para você agir, então ela reage.

Claro, você é inteligente, e já deve estar “me” perguntando (como eu sei disso?) sobre as reações das quais você é vitima sem ter feito nada. Pois é. É isso mesmo. O pano de fundo está sempre em ondulações, como um pano chacoalhado. Muitas pessoas estão agindo, e as ondas dessas ações se estendem pelo pano como um todo. Quando você age, você passa a participar desse movimento, e terá uma reação proporcional, que certamente se juntará a muitas outras reações, porém, aquela que está perto de você, ou seja a sua, é a que você receberá de imediato. Da mesma forma que se você bater de palma de mão aberta numa piscina de água. Aquela água já está la, ondulando, porém, a reação que você receberá de imediato será a sua, e depois que a água parar de reagir ao seu movimento, então as ondas provocadas por você se juntarão à outras, e formarão novos movimentos que afetarão todo mundo.

Dessa forma, pessoas que não agem, são “vítimas” das ondas provocadas pelas ações de outras pessoas. A esta, só cabe reagir ao que já está ali. São pessoas “reativas”. Quando a pessoa provoca a própria onda, ela é proativa. Por esta razão, se você não é uma pessoa proativa, passará a vida toda reagindo às ondas provocadas por outras pessoas. Na prática, gastará tempo se desviando do que não quer,e acabrá não conseguindo se concentrar e agir para gerar o que deseja.

Usando Newton, ficou mais fácil de entender o segredo: é preciso desejar, é preciso provocar, é preciso saber receber, já que toda ação provoca uma reação na mesma quantidade e em sentido oposto. Por isso devemos sabre o que desejamos, e então, pasmem, “atrair a parede certa”.

Podemos agir de muitas formas, desde comportamentos diretos no meio (bater contra a parede), passando por emoções, chegando a pensamentos. Este ultimos, os pensamentos, realmente são os melhores amigos e os piores inimigos, por que eles são ocultos. E por serem ocultos, são muito intimos, e nos afetam de uma maneira incrivel.

Dessa forma, vale àpena refletir sobre a forma como pensamos, e sobre como falamos (já que a fala é a expressão direta do pensamento). Por exemplo: o que me incomoda nos outros? Do que eu mais mais reclamo? Sobre que assunto eu fico falando para todos os tempo todo? O que do passado eu uso para justificar meus fracassos presentes? O que mais me frustra? Qual a coisa que me faz sentir uma pessoa indigna?  O que me afasta da realização dos meus sonhos?

Olhe bem para sua vida agora e me diga se isso tudo não está presente em nela. Verifique se não é exatamente mais “disso tudo” que você consegue ter “sempre mais”. E, claro, de vez em quando as ondas trazem alguma coisa boa, do nada, como milagre.

Eistein já dizia que a solução do problema não pode estar na mesma dimensão que o problema. Dessa forma, se desejamos alterar o curso de nossa vida, precisamos mudar a dimensão de nossas ações, pensamentos e sentimentos.

Agora já temos o suficiente para pensar sobre como podemos fazer o futuro mudar a partir de agora.

Lembremo-nos, não trata-se somente de atração, mas também, e principalmente, de ação. A vida reage ao que provocamos nela.

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br
www.facebook.com/RoberteMetring

www.facebook.com/BlogRoberteMetring