Vamos refletir.  A estória a seguir é, até onde eu sei, de tradição judaica. Fala sobre oportunidades, mercado (marketing), sorte, perspicácia, trabalho, foco, inteligência, fortuna, e sobre mais o que você puder pensar, visto que, de forma genérica, atinge um amplo espectro da vida humana.

“Havia um lugar onde moravam dois irmãos. As coisas não estavam indo muito bem. Mas um dia Jose vê seu irmão, Paulo, todo empolgado, muito feliz e ativo, lidando com o arado. José estranhou, e então perguntou ao seu irmão:

– O que você está fazendo? Porque toda essa empolgação se a gente está em estado de miséria?

O irmão, sorrindo, responde:

– Descobri um reino não longe daqui, onde eles não tem, e até desconhecem, cebola. Vou plantar cebolas. É um grande mercado inexplorado. Tenho certeza que poderei convencer ao rei a comprar minhas cebolas.  

José, ainda descrente, tenta dissuadir seu irmão.

– Deixa disso meu irmão. Se eles não tem cebolas, só pode ser porque não gostam de cebolas.

– Claro que não José. Eles não tem cebolas porque não conhecem cebolas. Eu gosto de cebola, você gosta de cebola, toda nossa família gosta de cebolas. Eles também vão gostar de cebolas. Preciso fazer isso antes que mais alguém descubra esse negócio inexplorado. Você me ajuda?

José, bastante desmotivado, sem expectativas e desconhecendo o negócio, recusa o pedido ao irmão e continua sua vida, fazendo nada e se lamentando.

Ao período de colheita, Paulo empacota um tanto de cebolas e viaja para o reino em vista. Pede uma entrevista com o rei, e apresenta a cebola, fazendo uma bela propaganda, e depois indo para a cozinha preparar pratos com cebolas.

O rei, sem nada à perder, consentiu nisso, e então provou a comida com cebolas. Ficou realmente admirado, maravilhado com o gosto delicioso que a cebola deu à comida, e resolveu que a partir daquele dia a cebola era o bem mais precioso daquele reino. Mandou pagar a Paulo um diamante para cada cebola que ele trouxesse, afinal, diamantes eles tinham à vontade. Era um reino muito rico.

Dessa forma, Paulo voltou para sua casa cheio de diamantes, e pronto para uma nova colheita e entrega, para receber mais diamantes. Seu irmão, evidentemente, ficou muito louco da vida, pois tinha se recusado a ajudar Paulo, e agora teria que vê-lo enriquecer sem participar dos lucros.

Mas José não era bobo. Logo viu que podia seguir os passos de Paulo. Foi ao reino, fez nova pesquisa, e descobriu que naquele reino também não conheciam o alho. Voltou, plantou alho.

Na época da colheita, pegou um tanto e se deslocou para aquele reino, e pediu uma audiência com o rei. Da mesma forma que seu irmão, falou de todos os benefícios do alho, e foi para a cozinha preparar uma comida, agora com alho.

O rei provou a comida e ficou maravilhado. O gosto realmente tinha melhorado muito, e agradou ao paladar do rei e da corte. O rei ficou muito feliz, e decretou, então, que a partir daquele dia, o alho seria o produto mais importante daquele reino. Imediatamente decretou que José recebesse por cada alho, uma cebola.”

Tirem suas conclusões. Deixem seus comentários.

Saúde e Paz

Roberte Metring

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
[email protected]
www.facebook.com/RoberteMetring

www.facebook.com/BlogRoberteMetring