Estive pensando sobre algumas mensagens eletrônicas que me chegaram  falando dos GATOS BONSAIS.

Definitivamente parece que aquilo tudo não passou de grande brincadeira, pois haviam provas cabais da impossibilidade daquilo tudo acontecer.

Mas o assunto me levou a refletir sobre o luto materno/paterno da perda da criança.

Sabemos que as teorias indicam que os pais têm grande dificuldade em elaborar este tipo de luto para encarar de frente a perda da “criança” existente sob seus auspícios.

Então me veio à mente o quadro da CRIANÇA BONSAI, ou seja, daquele ser que, mesmo que o crescimento biológico seja evidente o suficiente para  qualquer pessoa em evolução, ainda assim está passando por um processo trágico de formatação e aniquilamento do crescimento psíquico, senão mesmo, em alguns casos, até mesmo do físico.

Pensei que isto tudo pode parecer com a já milenar obra de arte oriental, os Bonsais de árvores e outras plantas. Neste processo, para quem não sabe, a planta é impedida de crescer, de se desenvolver, sendo podado de todas as formas, se tornando aquele minúsculo projeto de árvore, que é vendido a valores fabulosos, devidamente justificados pela enorme quantidade de tempo gasto para impedir a natureza de seguir o seu curso. Ficam muito bonitas, é incontestável, aquelas arvorezinhas minúsculas e perfeitas.

E o que é que vamos dizer das nossas “CRIANÇAS BONSAIS”, aquelas que os pais impedem de seguir seu curso, de se desenvolverem psiquicamente, de terem condições de vida digna, e que encontraremos mais tarde, aos 40 ou 50 anos, e que se observarmos bem, não passam de BONSAIS HUMANOS. Como encontraremos justificativas para isso?

É triste verificar como estamos na era do BONSAI HUMANO.

Termino aqui, mas peço que cada um que tenha lido este texto possa pensar à respeito do que pode fazer como profissional para evitar um sombrio futuro. Não vamos ser hipócritas o suficiente para pensar em acabar com isso, ninguém deixaria, mas sim, em popularizar algum pensamento que permita que muitos mais possam se mobilizar para mudar culturalmente esta forma arcaica e enraizada de permitir que alguns adultos pobres de espírito e egoístas continuem transformando seres humanos em projetos mal elaborados e impotentes de GENTE.

Sucesso e paz.
Varekai (onde quer que seja)
Roberte Metring – CRP 03/12745

Não me peça explicações, não as tenho. Eu simplesmente aconteço.
Psicoterapia – Consultoria – Cursos – Palestras
 Docência – Supervisão
contato@psicologoroberte.com.br – www.psicologoroberte.com.br